Sem-terra continuam acampados na sede do Incra em Recife

Cerca de 500 integrantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf-PE) decidiram nesta quinta-feira manter acampamento no pátio interno da sede do Incra, no Recife, onde estão desde segunda-feira. Depois de várias rodadas de negociação, uma pendência os mantém no local: a liberação de R$ 1,3 milhão para pagamento dos técnicos que prestam assistência aos assentados e estão sem receber. Segundo o coordenador do movimento, João Santos, um destes técnicos chegou a ser preso por não pagar pensão alimentícia. "Brasília tem que resolver isso", afirmou ele. Na última quarta, eles interditaram por meia hora uma das avenidas mais movimentadas da cidade, onde se localiza o órgão. O motivo do protesto foi pressionar o Incra a atender as reivindicações da organização relativas a vistorias, extensão do programa de alfabetização de adultos e jovens, além de assistência técnica e liberação de créditos de fomento para áreas de assentamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.