Sem-terra bloqueiam rodovias em Mato Grosso do Sul

Manifestações são para mostrar o descontentamento com indicação para substituir superintendente do Incra

João Naves, de O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2008 | 16h06

Quase 1.500 sem-terra bloquearam durante toda a manhã desta sexta-feira, 25, pontos estratégicos das rodovias BR-163, BR-060 e MS-156 em Mato Grosso do Sul. As manifestações aconteceram para mostrar o descontentamento dos trabalhadores rurais, com a indicação de Flodoaldo Alencar, membro do MNP (Movimento Nacional dos Produtores), para substituir o superintendente do Incra (Instituto de Colonização e Reforma Agrária), no Estado, Luiz Carlos Bonelli, que está no cargo há 5 anos no cargo.  Alencar foi indicado pelo senador Valter Pereira de Oliveira (PMDB). Em nota distribuída pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra), os dirigentes da entidade ressaltam que "lamentavelmente voltam as manobras do senador Valter Pereira que deu seu voto de apoio a CPMF para negociar cargos públicos. Não podemos aceitar este tipo de procedimento onde duas ou três pessoas em troca de favores, decidam mudanças para atender caprichos do senador". O senador afirmou que "os bloqueios foram orquestrados por Bonelli. Ele, o Bonelli, me disse pessoalmente que resistiria sua substituição. Ficou quatro horas no meu gabinete em Brasília, conversando sobre a decisão de não deixar a superintendência do Incra no Mato Grosso do Sul. Ele não quer ir para outro local, e prometeu reagir contra a sua saída do órgão. Esse tom raivoso deixa transparente a existência de interesses inconfessáveis, entre o Bonelli e os líderes dos trabalhadores rurais no Estado". Bonelli, está de férias, e o superintendente interino do Incra Valdir Périus, não quis comentar o assunto, dizendo apenas que "esse caso da substituição do Bonelli, é um problema político que o Governo terá que resolver". Flodoaldo Alencar, sabe que o senador fez a indicação de seu nome, mas prefere não se manifestar até que seja publicado Diário Oficial da União. Além do MST, participaram dos bloqueios, membros da FAF (Federação da Agricultura Familiar), a Fetagri (Federação dos Trabalhadores na Agricultura em Mato Grosso do Sul) e CUT (Central Única dos Trabalhadores Rurais). Valter Pereira, lamentou a união dessas organizações "para atos tão feios". Ele ressaltou não ver motivos para os trabalhadores rurais defenderem Bonelli. "o Incra criou favelas rurais durante os últimos 5 anos no Mato Grosso do Sul. Ultimamente está se dedicando a implantação de favelas urbanas, como acontece no Assentamento Itamarati, em Ponta Porá, onde foi criado um núcleo urbano".

Mais conteúdo sobre:
MST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.