Sem-terra aprisionam prefeito no PA

Um grupo de 50 lavradores sem terra, que há dois meses invadiu e ocupa a fazenda Serra Negra, no município de Bannach, no sul do Pará, mantém, desde a note de ontem, seis reféns no local. O prefeito Geraldo Oliveira (PTB), uma vereadora de nome Maria José, dois secretários municipais, um motorista da prefeitura e um diretor da associação de fazendeiros estão detidos e só serão libertados, afirmam os líderes dos lavradores, quando o Incra desapropriar a fazenda. O prefeito e as outras cinco pessoas foram capturadas enquanto tentavam negociar a liberação da rodovia que dá acesso à cidade de Bannach, bloqueada desde segunda-feira. De Belém, seguiu para a região o delegado da Polícia Civil José de Alcântara. Ele terá a dupla missão de tentar desobstruir a estrada e soltar os reféns. Os líderes dos invasores rejeitavam, até o início desta tarde, afirmando que só conversam com o superintendente do Incra em Marabá, Darwin Boerner Júnior. Boerner, porém, passou o dia ocupado, tentando negociar com o MST a pauta do movimento para a liberação de recursos da reforma agrária no sul do Pará. Cerca de 800 assentados e sem-terra montaram acampamento, na terça-feira, em frente à superintendência do Incra. Desde domingo passado, o MST ocupa na região as fazendas Boi Bom, de 2.400 hectares, em Rondon do Pará, e outra área no município de Goianésia, às margens do Rio Capim. As autoridades de Marabá informaram que os invasores da Serra Negra não possuem qualquer vinculação com o MST.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.