Sem-terra acampam no centro de Sorocaba

Cerca de 200 militantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) acamparam nesta quarta-feira na Praça da Bandeira, na região central de Sorocaba, para protestar contra a demora no assentamento de famílias acampadas na região. Os sem-terra, que passariam a noite no local, realizam passeatas nesta quinta-feira no centro da cidade. Eles saíram de manhã do Acampamento Pátria Livre, instalado no km 101 da Rodovia Castelo Branco, em Porto Feliz, e fizeram uma marcha de 25 quilômetros até Sorocaba.Policiais militares acompanharam a movimentação, mas, até o fim da tarde, não ocorreram incidentes. Segundo o líder William Souza de Almeida, de 44 anos, os manifestantes querem também que o governo estadual forneça água potável ao acampamento onde estão 400 famílias. Ele disse que essa promessa foi feita por técnicos do Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), órgão estadual, no acordo para a desocupação do acampamento anterior, na margem do km 99 da Castelo.Os sem-terra fazem parte do grupo arregimentado pelo MST para invadir a Fazenda Santa Isabel, em Alambari, no dia 1º de março. Segundo Almeida, quando negociaram a saída pacífica da fazenda em razão de uma liminar de despejo dada pela Justiça, os representantes do Itesp e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) prometeram apressar a destinação de uma área para assentamento das famílias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.