Sem-terra acampam em frente ao estádio do Pacaembu

Um grupo de aproximadamente 200 sem-terra decidiu fazer hoje um protesto em frente à unidade paulistana do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), contra a "morosidade da reforma agrária do País". De acordo com Gilmar Mauro, diretor nacional do Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em São Paulo, há também 400 pessoas acampadas em frente ao Estádio do Pacaembu "Elas vão permanecer lá até o dia 7, quando ocorrerá o movimento do Grito dos Excluídos", afirma o diretor.O ato dos sem-terra ocorre simultaneamente em outras capitais do País, incluindo o Distrito Federal. Os sem-terra querem o cumprimento da meta assumida pelo Incra em parceria com o governo estadual de assentar 2,5 mil famílias este ano. Mauro garante que o protesto será pacífico. O movimento reivindica o assentamento de famílias acampadas, assistência técnica, negociação de dívidas do Procera e Pronaf, crédito para custeio e investimento, além de alimentação para os acampamentos, entre outros itens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.