Sem-terra acampam diante de prefeitura em SP

Lavradores sem-terra que desde a noite de domingo estão acampados na frente da prefeitura de Brejo Alegre, na região de Araçatuba, decidiram hoje permanecer no local indefinidamente. Para interditar o quarteirão onde fica o prédio da prefeitura, os acampados ergueram um barracão de bambu e lona plástica, e estacionaram um trator numa das esquinas.A decisão de manter o acampamento na rua por prazo indeterminado foi tomada pelos lavradores em assembléia, depois que o prefeito Manoel Antônio Leitão (PSDB) e uma comissão de seis acampados tentaram, por telefone, conversar com o superintendente estadual do Incra, Geraldo Leite.Segundo Creuza de Carvalho Costa, representante dos acampados, assessores do superintendente do Incra informaram apenas que, até quinta-feira, ele tem outros compromissos, e não poderá ir a Brejo Alegre. "Enquanto isso, vamos ficar na rua, com o apoio do prefeito", disse Creuza.Ela informou que os acampados não têm ligação com o MST ou qualquer outro movimento organizado de luta pela reforma agrária. São cerca de 50 famílias que há três anos pedem a desapropriação de 1,5 mil alqueires da Fazenda São José, na qual o Incra já realizou dois assentamentos, com outras 52 famílias da região.Antes de acampar na frente da prefeitura de Brejo Alegre, as famílias estavam instaladas em barracos às margens da rodovia Roberto Rollemberg (SP-461). Creuza Costa disse que o grupo optou por não invadir as terras pelas quais luta por causa de uma medida provisória do governo federal que dificulta a desapropriação de áreas ocupadas.O barracão armado pelos acampados diante da prefeitura está servindo de refeitório durante o dia e de dormitório para os homens, à noite. Mulheres e crianças dormem em instalações cedidas por uma igreja evangélica. A Polícia Militar patrulha o local do acampamento e apenas observa a movimentação. O prefeito Manoel Leitão não foi encontrado para confirmar se teria concordado com a permanência do acampamento na frente da prefeitura. Os acampados informaram que ele também prometeu fornecer água e remédios para as famílias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.