Sem Serra, Alckmin recorre à ajuda de Aécio

Candidato a prefeito recebe hoje o governador de Minas para um[br]encontro reservado, mas assessores não descartam uma caminhada

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2008 | 00h00

Em meio à indefinição sobre a participação do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), na campanha tucana em São Paulo, o candidato à prefeitura paulistana pelo PSDB, Geraldo Alckmin, receberá hoje o apoio de um outro governador do seu partido, Aécio Neves (Minas).O mineiro vai aproveitar um evento em São Paulo e visitar o comitê de Alckmin. Aécio é o segundo governador tucano a dar apoio ao candidato. No mês passado, Alckmin teve o governador de Roraima, José Anchieta, como cabo eleitoral numa caminhada no tradicional bairro da Liberdade, no centro da cidade.Em princípio, Aécio terá apenas um encontro reservado com Alckmin, mas assessores não descartam uma caminhada rápida pelos arredores do comitê para um café.RODEIOAlckmin sempre desconversa quando ao assunto é o engajamento de Serra na campanha. Ontem, preferiu fazer uma brincadeira. "É para criar suspense. Ele vai aparecer", declarou o candidato, ao ser questionado sobre a ausência do governador nas atividades de rua, após um mês de campanha. "Aliás, ele já entrou, quando discursou lá na convenção", emendou o tucano, referindo-se ao pronunciamento de Serra no dia em que o partido confirmou a candidatura de Alckmin na cidade.Serra enfrenta uma saia-justa. Por ter sido o principal defensor do apoio do PSDB à candidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM), há um constrangimento em apoiar Alckmin. Ele mesmo já admitiu que é uma situação difícil. Para não ter de escolher entre um dos dois palanques, a saída encontrada pelo governador, até agora, foi sumir dos dois.A maior possibilidade, até agora, é de que só participe mesmo da campanha no segundo turno, quando, segundo as pesquisas de intenção de voto indicam, Alckmin disputará com a petista Marta Suplicy e terá o apoio de Kassab.Por enquanto, não está certa nem mesmo a participação de Serra no horário eleitoral tucano. "Primeiro temos de nos preocupar em mostrar o candidato", diz o coordenador-geral da campanha tucana, Edson Aparecido. SUMIÇOAlém de Serra, outro tucano ilustre, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, tem ficado longe do palanque em São Paulo. Enquanto isso, prefeitos, senadores e deputados de outros Estados vieram pedir votos para Alckmin.Ontem, na hora do almoço, o ex-governador teve um encontro com a bancada de deputados estaduais do PSDB de São Paulo. Dos 21 parlamentares, foram 18 - os demais estavam em campanha em seus municípios. Alckmin pediu a todos participação na eleição, especialmente para os que têm base eleitoral na capital.O deputado Fernando Capez, que estava no almoço, entrou na campanha ontem mesmo e acompanhou Alckmin em caminhada na periferia da zona sul, embora fosse horário de sessão na Assembléia Legislativa. Ele justificou: "Não tinha previsão de votar nada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.