Sem réu, primeiro interrogatório do mensalão é cancelado

Pedro Corrêa é um dos 40 denunciados no esquema, acusado por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha

Angela Lacerda, do Estadão

27 de novembro de 2007 | 13h21

Foi cancelada a audiência marcada para esta terça-feira, 27,  na 13. Vara Federal Criminal, no Recife, com o ex-presidente nacional do PP e deputado federal cassado Pedro Corrêa, acusado de formação de quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro dentro do esquema que ficou conhecido como "mensalão". O dele seria o primeiro interrogatório dentro do processo que acusa 40 participantes do esquema criminoso. O juiz da 13.Vara Federal Criminal, César Arthur Cavalcanti de Carvalho, disse que a ausência do acusado não pode ser caracterizada como fuga ou má-fé, já que ele não recebeu pessoalmente a citação para comparecimento. No sábado passado a oficial de justiça Maria José Bezerra foi até à residência do ex-deputado para entregar a citação e seu filho Fábio Corrêa de Oliveira Andrade Neto informou que o pai estava em São Paulo. O filho adiantou, depois, em conversa com o juiz, que o ex-deputado deverá se submeter a um "procedimento médico". A expectativa do juiz é de interrogá-lo até o dia 10 de dezembro. Ele tem 60 dias para cumprir a ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). Se isto não for possível, o ex-deputado poderá ser ouvido em outro Estado. Se condenado pelos três crimes, Pedro da Silva Corrêa de Oliveira Andrade Neto poderá cumprir pena que varia de seis a 25 anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
Mensalão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.