Sem quórum, CPI Mista da Petrobras adia requerimentos

Pela segunda vez, a base aliada não compareceu e a CPI mista da Petrobras adiou, por falta de quórum, a votação de uma lista de requerimentos. Na lista, estavam pedidos para se quebrar os sigilos bancário, fiscal e telefônico do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Área de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, ambos presos por envolvimento em suspeitas levantadas no curso da Operação Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal.

RICARDO BRITO, Agência Estado

02 de julho de 2014 | 15h09

O presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), anunciou o adiamento após esperar 30 minutos para ter o quorum. Ele anunciou que uma nova tentativa de se votar requerimentos estava marcada para a próxima quarta-feira, dia 9. O líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), criticou a manobra da base aliada, que é maioria na CPI Mista.

Segundo a assessoria, 13 parlamentares assinaram a lista, sendo que eram necessários pelo menos 17 para votar os requerimentos. "Eles (os governistas) não querem CPI coisa nenhuma", acusou ele, citando o fato de que congressistas estavam no corredor quando a decisão de adiar foi anunciada. Há duas semanas, da mesma forma, a comissão tentou apreciar, sem sucesso, os requerimentos. A base aliada boicotou os trabalhos e não deu quorum para abrir a sessão e votar os pedidos.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI mistaPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.