Sem quórum, comissão não vota proposta de elevar mínimo

Por falta de quórum, a comissão mista que analisa a medida provisória do salário mínimo não votou a proposta do relator Rodrigo Maia (PFL-RJ), que fixa o mínimo em R$ 275,00. A MP agora segue para o plenário da Câmara. Pelo regimento, os deputados têm que votar uma medida provisória em 30 dias, depois de apreciada pela comissão. No final dos trabalhos da comissão mista, o senador Paulo Paim (PT-RS), que foi retirado da comissão pelo PT, fez um discurso emocionado e até chorou. "Não tenho como votar os R$ 260 conforme propôs o governo. Não farei essa violência comigo mesmo", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.