Sem negociação, PF prepara greve geral para dia 18

A esperada reunião no Ministério do Planejamento não ocorreu, muito menos saiu acordo sobre reajuste salarial de 30% para a Polícia Federal. Irritados, os líderes das carreiras da PF anunciaram nesta quarta-feira que vão fazer greve geral a partir do dia 18. Confirmaram para o mesmo dia marcha de protesto na Esplanada dos Ministérios e estudam abandonar o esquema de segurança dos jogos Pan-Americanos, no Rio.?Não acredito que o presidente Lula, que tanto se utilizou da PF em sua campanha, esteja sabendo do que estão fazendo com a instituição?, desabafou Amaury Portugal, presidente do Sindicato dos Delegados da PF em São Paulo.Portugal e outros 7 representantes de entidades de classe da PF que representam 16.478 servidores - ativos, aposentados e pensionistas - chegaram ao Planejamento às 14h15 para o encontro com assessores do ministro Paulo Bernardo e o secretário de Recursos Humanos do governo, Sérgio Mendonça. Aguardaram em vão por mais de 2 horas, segundo Marcos Wink, presidente da Federação dos Policiais Federais. Cansados, foram embora. ?Um desrespeito?, disse Wink. ?Parece coisa preestabelecida no sentido de jogar os policiais na greve para que o governo tenha campo propício no Congresso para aprovar a lei de greve.?Sérgio Mendonça reconheceu o atraso e pediu desculpas. Disse que chegou tarde para o encontro porque estava reunido com o ministro ?exatamente para formatar a proposta do governo?. Não revelou se os 30% afinal serão concedidos - o valor, acertado em 2006 pelo Ministério da Justiça, deveria ter sido depositado em dezembro. ?Quando cheguei para a reunião, eles tinham ido embora?, disse Mendonça. ?Fiquei surpreso. Nunca aconteceu comigo em mais de 200 negociações que conduzi em 3 anos.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.