Sem Marta e Alckmin, Kassab é poupado no 1º debate em SP

Além de Kassab, participaram Maluf, Soninha, Ivan Valente, Ciro Moura e Levy Fidelix; debate foi no portal IG

REUTERS

17 de julho de 2008 | 19h02

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), foi poupado no primeiro debate entre os candidatos à prefeitura de São Paulo em que os líderes nas pesquisas --  Marta Suplicy (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) -- faltaram.  O debate foi realizado nesta quinta-feira pelo portal IG e pôde ser acompanhado ao vivo pelos internautas diretamente no site. Além de Kassab, participaram Paulo Maluf (PP), Soninha Francine (PPS), Ivan Valente (PSOL), Ciro Moura (PTC) e Levy Fidelix (PRTB).  Veja Também: Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Veja as regras para as eleições municipais Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições   "Saio feliz no momento em que todos os candidatos tiveram algum denominador comum com a nossa administração, mostrando que estamos no caminho certo", disse Kassab a jornalistas ao final do debate de quase duas horas. Maluf, que aparece empatado com Kassab em pesquisa Ibope divulgada na quarta-feira, com 11 por cento das intenções de voto, afirmou que a administração do funcionalismo está correta. "A população e o funcionalismo estão bem servidos porque não há greves", disse. O projeto Cidade Limpa, de combate à poluição visual, foi aplaudido por Ciro Moura, para quem "a população de São Paulo aprovou". Soninha considerou positiva a programação do Virada Cultural, série de eventos de entretenimento que acontece em um fim de semana, mas cobrou espaços para que a população se exercite nas diversas áreas culturais. A situação era tão favorável ao prefeito que, pegando uma deixa de Ciro Moura, Kassab chegou a dizer que "ele levantou a bola e vou chutar", enumerando as ações da prefeitura na área da educação. As soluções para o trânsito, uma das principais preocupações dos paulistanos, foram discutidas, porém com poucas indicações concretas. Exemplo desta postura foi a menção ao uso da bicicleta e a necessidade de ciclovias, enquanto Maluf defendeu a construção de uma "freeway" (via de alta velocidade) sobre os rios Tietê e Pinheiros. Os leitos seriam concretados para a passagem de veículos. Segundo ele, a velocidade máxima seria de 90 quilômetros por hora. Nenhum dos candidatos aproveitou o tema para questionar a iniciativa de Kassab desta quinta-feira de ampliar o uso do Bilhete Único nos ônibus, a menos de três meses da eleição. Com uma única passagem de 2,30 reais, o usuário poderá usufruir de três horas de ônibus, frente as duas atuais. A elevação valerá a partir de 28 de julho. "Todos sabem que não é eleitoreiro", disse Kassab a jornalistas, para quem a medida será possível com a economia originária da fiscalização do uso do bilhete e do combate às fraudes. Em um dos poucos questionamentos, Ivan Valente criticou a forma como os ambulantes vêm sendo tratados pela prefeitura e a chamada progressão continuada, em que o aluno avança sem repetir de ano. "Sem qualidade não se avalia o aluno", afirmou Quanto à ausência de Marta e Alckmin, os mais bem pontuados nas pesquisas, Soninha afirmou que a decisão de não participar vem do medo de correr riscos. "Candidatos que estão na frente e que já tiveram experiências administrativas provavelmente seriam alvos preferenciais da perguntas, seriam mais vulneráveis. Eles consideram que correm riscos, que não têm quase nada a ganhar e muito a perder, mas eu entendo que têm que correr riscos", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.