Sem Dilma, ExpoZebu terá protesto contra Cunha e Pimentel

Presidente ou o vice eram esperados neste domingo, 3, na abertura da feira que acontece em Uberaba, mas Dilma já descartou a ideia

Rene Moreira, Especial para O Estado

02 de maio de 2015 | 12h52

FRANCA - Alvo de protesto dos agropecuaristas no ano passado, a presidente Dilma Rousseff descartou marcar presença na abertura da Expozebu, neste domingo, 3, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. O convite foi feito com antecedência, mas o Palácio do Planalto não confirmou sua participação na principal feira de gado do país.

Nem mesmo o vice-presidente Michel Temer (PMDB) estará na cerimônia, apesar de ter recebido o convite pessoalmente das mãos do prefeito da cidade na semana passada. No caso dele, a ausência teria ligação com os protestos que enfrentou no início da semana em Ribeirão Preto e que havia o temor de que se repetissem em Uberaba.

Os ministros Aldo Rebelo (Ciência e Tecnologia) e Kátia Abreu (Agricultura) também não devem desembarcar em Uberaba. Já o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), chega neste sábado quando participa de encontros políticos, ficando também para a abertura no dia seguinte.

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), ameaçou faltar ao evento. O motivo seria a moção de repúdio aprovada pelos vereadores de Uberaba, que ficaram contra ele por causa da entrega da Medalha da Inconfidência, maior honraria do Estado, ao líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. Porém, Pimentel voltou atrás e deve estar no cerimonial.

Manifestação. Cunha e Pimentel devem enfrentar protestos na abertura da feira no Parque Fernando Costa. Sindicalistas pretendem distribuir panfletos contra o projeto que trata da terceirização no mercado de trabalho. Também preparam um documento em repúdio à proposta que é analisada no Congresso.

Outra manifestação prevista para a manhã deste domingo na ExpoZebu é organizada por movimentos via internet. Com apitos e faixas, os manifestantes prometem protestar contra o PT, a corrupção e o governo de Dilma Rousseff (PT), fazendo muito barulho principalmente quando Cunha e Pimentel forem falar ao público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.