Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Sem citar Temer, Kassab defende legado do governo

O ministro disse que todos que ocupam cargos de confiança na gestão querem 'deixar esse legado' para que o País tenha um futuro promissor

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2018 | 14h55

BRASÍLIA - O Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, defendeu terça-feira, 19, o legado dos dois anos de governo. Sem citar o presidente Michel Temer, Kassab disse que o governo tem avançado do lado institucional e financeiro. De acordo com o ministro, o apoio do PSD ao candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, deve ser definido nas próximas semanas. O objetivo daqueles que continuam no governo é deixar uma estrutura dotada de possibilidade de sequência.

++ Aliança com Alckmin é ‘sentimento amplo’ no PSD, afirma Kassab

"Todos nós que ocupamos cargo de confiança hoje queremos efetivamente deixar esse legado para que possamos traçar para o Brasil um futuro promissor, onde as gerações que estão chegando possam viver melhor. Isso é o que motiva qualquer pessoa que está na vida pública: deixar o país melhor", disse, para uma plateia de empreendedores na Finep, que lançou uma linha de R$ 1,5 bilhão para apoiar projetos de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).  "Impensável gerar emprego se não tivermos política pública que beneficie a inovação", afirmou.

Para a eleição do Rio, Kassab confirmou a candidatura própria de Índio da Costa, apoiado pelo PRB do prefeito Marcelo Crivella. Ele descartou qualquer possibilidade de apoio ao ex-prefeito, Eduardo Paes (DEM), de quem foi aliado nos dois governos a frente do município. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.