Sem citar Dilma, Mujica diz apoiar eleição de mulher no Brasil

Presidente eleito do Uruguai, que toma posse nesta segunda-feira, afirmou que 'gosta de mulheres no poder'

Julia Duailibi, enviada especial do O Estado de S. Paulo,

01 de março de 2010 | 09h57

Em entrevista à imprensa internacional neste domingo, 28, o presidente eleito do Uruguai, José Mujica, que tomará posse daqui a pouco em Montevidéu, afirmou que o seu "coraçãozinho" pende pela eleição de uma mulher no Brasil.

 

Veja também:

linkPresidente de El Salvador diz torcer por Dilma

 

Sem citar nominalmente a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ex-guerrilheiro afirmou que gosta de mulheres no poder. "A decisão é do povo brasileiro, o que não quer dizer que eu não tenha meu coraçãozinho. Ultimamente, eu gosto das mulheres no poder", disse Mujica. Lucía Topolansky, ex-guerrilheira e mulher do presidente eleito, é senadora e terá o posto de presidente substituta do Senado, o que a coloca como segunda pessoa na linha sucessão do marido. Mujica, que será o segundo presidente de esquerda a governar o Uruguai, receberá o governo das mãos de Tabaré Vázquez, eleito em 2004.

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve chegar ao Uruguai no começo da tarde. Lula ficará apenas algumas horas no país. A imprensa local ironizou o pouco tempo que o brasileiro estará no Uruguai, dizendo que trata-se "de uma visita médica".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.