Sem assumir candidatura, Marta lembra sua 'boa gestão'

Ministra acha 'bom' prazo para deixar pasta e evita comentar candidatura de Alckmin, que deve se oficializar

ANNE WARTH, Agencia Estado

05 de maio de 2008 | 18h14

A um mês do prazo final para se desincompatibilizar e poder concorrer à Prefeitura de São Paulo, a ministra do Turismo, Marta Suplicy, considerou nesta segunda-feira, 5, "bastante bom" o prazo para deixar o ministério, 5 de junho, evitando assim assumir sua candidatura nas eleições de outubro deste ano. Marta não comentou a candidatura de Geraldo Alckmin à Prefeitura, pelo PSDB, que deve ser anunciada nesta noite, mas mostrou confiança quanto ao seu posicionamento nas pesquisas eleitorais. "Acho que fizemos uma boa gestão e estávamos fortes naquele momento (eleições de 2004). O que eu vejo pelas pesquisas é que muita gente reconhece isso. Como estamos bem na dianteira das pesquisas, eu vejo que muita gente reconhece isso hoje."  Veja também:Alckmistas rebatem líder e confirmam candidatura em 2008Líder do PSDB na Câmara Municipal diz que partido rachou PT tem quatro pré-candidatos à prefeitura de Salvador PSB não abre mão do apoio de Aécio Neves em BH  Vereadores do PSDB resistem a ajudar AlckminMarta evitou falar sobre sua provável candidatura e as negociações para as alianças do PT na capital paulista. "Estou deixando as negociações a cargo do diretório municipal e do presidente estadual, que me informam de vez em quando, uma vez que não sou candidata oficial. Então posso me resguardar de dar opinião sobre os acertos e tratativas que estão sendo feitos."Depois de perder o PMDB para o DEM do atual prefeito, Gilberto Kassab, o PT busca o apoio do bloquinho, grupo composto pelo PDT, PSB, PC do B e PRB, que soma cerca de quatro minutos diários de propaganda em TV e rádio. Além da aliança com o bloquinho, os petistas querem o PR ao lado de Marta. O partido, que contabiliza 1 minuto e meio diário de propaganda em TV e rádio, exige, no entanto, a vaga de vice-prefeito, ao mesmo tempo em negocia também com o DEM, legenda da qual não cobra o mesmo compromisso.Imigração JaponesaEm visita às obras de restauração do colégio Campos Salles, que será transformado no Museu da Arte Moderna Nipo-Brasileira Manabu Mabe, no bairro da Liberdade, Marta aproveitou para dizer que o Ministério do Turismo deve liberar, ao todo, cerca de R$ 25 milhões somente para as comemorações dos 100 anos da imigração japonesa no Brasil, que ocorrem neste ano."São Paulo ainda carece de lugares para o turismo", discursou a ministra, acrescentando que o museu irá valorizar o bairro da Liberdade, um dos maiores redutos japoneses da capital paulista. Em seguida, Marta citou uma conversa com o deputado federal Walter Ihoshi (DEM-SP), na qual se comprometeu a liberar, nos próximos meses, R$ 3,5 milhões para as obras do museu, que deve ser inaugurado no fim de 2009. Ela revelou que o deputado mostrou preocupação com a liberação dos recursos, pois já conta com a saída de ministra da pasta. "Calma, se a gente sair, vamos deixar tudo acertado", disse ela.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições municipaisMarta Suplicy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.