Sem acordo, cresce a tensão entre índios e fazendeiros

O chefe do posto da Funai em Colider (MT), o cacique Megaron Txucarramãe, fracassou nesta quinta-feira ao propor um acordo de paz entre fazendeiros, índios e 40 agentes da Polícia Federal que protegem técnicos do órgão no serviço de demarcação da reserva Baú-Mecranotire, entre os municípios de Novo Progresso e Altamira.Megaron queria a liberação da rodovia Santarém-Cuiabá, fechada há dois dias por cerca de mil pessoas, propondo em troca uma rodada de negociações sobre o destino das 3,5 mil famílias que vivem na área apontada pela Funai como parte dos 1,8 milhão de hectares da reserva indígena. Irritados e se dizendo "dispostos a tudo", representantes do setor empresarial e pecuaristas do município afirmaram ao cacique que só irão liberar a rodovia quando os policiais federais e homens da Funai suspenderem a demarcação e saírem de Novo Progresso.O juiz da comarca de Santarém, Fredson Campanelli, se deslocou a Novo Progresso para fazer um apelo aos agricultores para que evitem o confronto. Os policiais federais informaram que não cabe a eles a missão de restabelecer o tráfego na Santarém-Cuiabá, mas à Polícia Rodoviária Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.