Seita quer construir centro de clonagem no Brasil

De limousine cinza, com minicoque na cabeça, roupa toda branca e símbolo da infinitude pendurado no pescoço, Rael, fundador do Movimento Raeliano Internacional, despertou olhares incrédulos de várias pessoas que foram neste domingo a um shopping da capital paulista. Mas quando saiu cercado por seguranças vestidos de negro e discípulos com roupas fashion para entrar no Lincoln com placas do Rio, a curiosidade extrapolou."Quem é essa figura?" perguntava o estudante Fábio Guimarães a um amigo. "Ele é bem carnavalesco", constatava o contabilista Hygino Bernardi. Rael permaneceu no shopping por uma hora e 15 minutos, autografando seus livros "Sim", "Clonagem Humana" e "A Mensagem Transmitida pelos Extraterrestres" e dando entrevistas num livraria.E o bebê clone?Estava acompanhado de 12 discípulos do movimento e da presidente da Clonaid, Brigitte Boisselier, que desconversou quando lhe perguntaram sobre as fotos de Eva, o bebê que teria sido clonado no ano passado. "Hoje estamos aqui para promover o livro", disse. Sempre sorridente, Rael pretende muito mais do que divulgar suas idéias sobre clonagem e extraterrestres.No Brasil pela segunda vez - a primeira foi há 14 anos -, ele também espera aumentar o número de seguidores no País - estimado em 500 - e ajudar a Clonaid a ganhar apoio de parlamentares para montar aqui um centro de clonagem humana. Diz que ainda não há local definido, mas aposta na proposta de uma nova indústria, que tem, segundo ele, pelo menos um milhão de interessados e capacidade de movimentar milhões de dólares. Lula, guerra, paz e amorDe São Paulo o grupo deve seguir para Porto Alegre e ainda negocia um convite para ir a Brasília conversar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com parlamentares. Enquanto ele não sai, Rael aproveita para condenar a guerra "ilegal" contra o Iraque e defender a união dos países da América do Sul.Mais reservada, sua mulher, a canadense Sophie de Niverville, de 27 anos, aproveitava o momento em que o marido dava entrevistas para ver CDs de música e falar sobre o movimento que, segundo ela, tem 50 mil seguidores e é mais forte no Japão, na França e no Canadá. "Rael é o homem da paz e do amor, que ama e traz a luz."Também é o homem que diz manter contatos anuais por telepatia com extraterrestres. "Na última mensagem, eles pediram para realizarmos trabalhos na China", afirmou. É ainda o homem que foi criticado por toda a comunidade científica ao anunciar o primeiro clone humano, sem provas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.