Seis homens invadiram veleiro de Blake

Sir Peter Blake, um dos maiores velejadores do mundo, foiassassinado no inicio da madrugada de hoje em Macapá, no estado do Amapá, onde chegou por volta das 16 horas de ontem no veleiro Sea Master.O crime ocorreu dentro do veleiro que estava ancorado no balneário de Fazendinha, a 12 km do centro de Macapá. Seis homens, usando capacetes de motociclistas e máscaras de meia, portando pistolas 7.65, invadiram o veleiro e anunciaram que se tratava de um assalto. Peter Blake reagiu atirando com um rifle CZ 601 ZKK e foi morto por um dos assaltantes.Os bandidos levaram o rifle de Peter Blake, quatro relógios "SeaMaster" (avaliados em U$ dois mil cada) fabricados pela Ômega quepatrocinava a expedição e duas máquinas fotográficas e fugiram num bote inflável roubado do próprio veleiro. As Polícias Federal, Militar e Civil ainda não têm pistas dosassaltantes. A embaixadora da Nova Zelândia Denise Almao chegou por volta das 14h em Macapá (15h de Brasília) e está acompanhando na Polícia Federal os depoimentos do restante da tripulação do Sea Master. Segundo o Capitão PM Luiz Antônio Vilhena de Souza, que estava como oficial de operações nesta madrugada, os assaltantes "possivelmente possuem formação militar pela rigidez comoagiram".O procurador da República no Amapá, Manoel Pastana, disse que oassalto se deu quando a tripulação estava fazendo um churrasco dentro do veleiro. Segundo ele os bandidos já entraram gritando que queriam "money, money". Pastana disse também que inicialmente Peter Blake pensou em ancorar em Santana, município distante 24 km de Macapá, masachou a área perigosa e decidiu seguir para Fazendinha. "Supoem-se que os bandidos já estavam a espreita", disse o procurador. Ele avalia que este crime vai prejudicar bastante a imagem do Brasil, e principalmente da Amazônia, no exterior. O governador Alberto Capiberibe (PSB) não está em Macapá. Mas o Secretário de Comunicação do Governo, Marcelo Roza, disse que o governo não tinha conhecimento que Peter Black estava no Amapá. "Fomos surpreendidos com essa história", falou.No começo da noite o delegado da Polícia Federal, Valmir Lemos deOliveira, vai dar entrevista sobre o crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.