Seguro contra a seca terá R$ 250 milhões

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Martus Tavares, informou hoje que o programa de "seguro-renda" reserva R$ 250 milhões em 2002 para socorrer eventuais produtores vítimas da seca. Tavares explicou tratar-se de uma espécie de seguro ao qual os agricultores terão acesso, caso venham a ter uma dificuldade grave por causa da seca."Isso vai ser mais detalhado quando a proposta orçamentária for aprovada e confirmada a manutenção desses recursos. Ele vai ser tão ou mais usado se nós tivermos mais ou menos água", disse Tavares.Ele afirmou que não significa, necessariamente, que todo esse dinheiro será usado. "Mas ele vai estar lá à disposição. É uma forma diferente de tratar a questão que retira as possibilidades de uma ação paternalista que possa ter efeitos de uso político, e assim por diante", comentou.De acordo com o ministro, ainda não está detalhada a formatação do programa e nem a maneira como o agricultor se cadastrará. "Mas eu diria que tende a seguir o modelo de todos esses programas que o governo está fazendo agora através dos cartões magnéticos, como o Bolsa-Escola. Tudo tende a ser feito através desses cartões, que é uma forma de tornar impessoal o serviço e de combater a corrupção", disse o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.