Seguranças e sem-terra entram em confronto em fazenda

A Polícia Militar precisou intervir para encerrar um confronto entre seguranças e sem-terra que invadiram no início do mês a fazenda Timboré, em Andradina, no interior de São Paulo. Os PMs apreenderam um revólver calibre e cápsulas usadas. O MST acusa os seguranças de seqüestrarem cinco sem-terras. Um dos donos da Timboré, Frederico Moraes Leite, alega ter sido agredido e expulso da sede da fazenda. Leite e líderes dos sem-terra foram levados para a delegacia de polícia para prestar esclarecimento.A confusão teve início quando os sem-terra invadiram a sede da fazenda atrás de água. A água distribuída ao acampados é cedida pelos donos da fazenda, mas um registro quebrado deixou-os sem água hoje. Segundo Leite, cerca de 30 sem-terra entraram armados com facões e foices espantando os quatro seguranças que faziam a guarda do local. "Eles colocaram o facão na minha garganta, me agrediram e rasgaram minha roupa", disse Leite.De acordo com Rosivaldo de Paula, da coordenação do MST, os acampados foram recebidos à bala pelos seguranças quando chegavam à sede da fazenda em busca de água. Na confusão, segundo ele, os seguranças seqüestraram cinco sem-terras. "Eles seqüestraram nossos companheiros, por isso, decidimos ficar na sede até que a PM chegasse. Eles só soltaram nossos companheiros quatro horas depois porque chamamos a polícia", disse Rosivaldo.A Timboré tem 793 hectares e foi declarada improdutiva pelo Incra, mas os proprietários recorreram à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.