Seguranças de PC Farias devem ir a Tribunal do Júri

Os seguranças Adeílton Costa dos Santos, Reinaldo Correia de Lima Filho, José Geraldo da Silva e Josemar Faustino dos Santos devem ir a julgamento no Tribunal do Júri pela morte do empresário Paulo César Farias e Suzana Marcolino.O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou favorecimento ao recurso especial interposto pelos seguranças de PC para anular a denúncia de homicídio duplamente qualificado. Os seguranças ingressaram no STJ para tentar desqualificar a sentença de pronúncia proferida pelo juízo da 8ª Vara Criminal de Maceió e confirmada pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. O objetivo seria trancar a ação penal que tramita contra eles e evitar o julgamento.O argumento era a inépcia da denúncia. Na época, o juízo de primeiro grau impronunciou quatro empregados da residência onde PC Farias foi morto e pronunciou os quatro seguranças.Caso PC FariasPaulo César Farias, um dos principais assessores do ex-presidente Fernando Collor de Mello, foi morto em junho de 1996, na casa de praia de Guaxuma, em Alagoas. O advogado de defesa insiste na tese de homicídio seguido de suicídio. Para ele, a incapacidade da denúncia estaria configurada no fato de a promotoria não ter descrito adequadamente a participação dos seguranças no crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.