Segurança monta cordão de isolamento para Sarney

A segurança do Senado montou um cordão de isolamento na saída do gabinete da presidência da Casa para evitar o contato próximo da imprensa com o senador José Sarney (PMDB-AP), que deve deixar seu gabinete no início da tarde. O mesmo procedimento havia sido adotado mais cedo, quando o peemedebista chegou ao Congresso. Os seguranças isolaram a entrada do plenário e a porta do gabinete da presidência do Senado.

EUGÊNIA LOPES, Agencia Estado

02 de julho de 2009 | 13h04

Ontem, no momento em que Sarney deixava o Senado, houve tumulto e até um repórter da equipe do programa humorístico CQC foi retirado por um segurança quando tentava entrevistar o presidente da Casa. Esses incidentes ocorridos ontem seriam a justificativa para a decisão de hoje.

O peemedebista está sendo pressionado para deixar o cargo após as denúncias de irregularidades com atos secretos na Casa. A pressão sobre o senador cresceu após José Adriano Cordeiro Sarney, neto do peemedebista, virar alvo de investigação da Polícia Federal (PF) por ser um dos operadores do esquema de crédito consignado na Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoJosé Sarneyatos secretos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.