Segundo presidente do órgão, dados não mudam por pressão

O presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes, afirmou que as alterações promovidas até agora nos resultados da contagem populacional de 2007 não atenderam a pressões de prefeituras descontentes com os números. "Nós divulgamos, em 31 de agosto, um número preliminar sobre a população dos municípios brasileiros", explicou Nunes. "Na ocasião, informamos que passaríamos ainda 28 dias complementando a apuração dos dados." Segundo ele, esse trabalho adicional resultou na revisão dos números de vários municípios. "Se a mudança foi conveniente ou não para um município, no sentido de permitir que ele receba mais ou menos que o esperado de recursos federais do FPM, foi produto desse trabalho, mas nunca em atenção a um pedido específico". Desde 5 de outubro, data em que o IBGE publicou a segunda estimativa da população, e até o dia 25 deste mês os prefeitos têm prazo para apresentar "reclamações fundamentadas" sobre os resultados da contagem. Até ontem, apenas 42 dos mais de 5,5 mil municípios brasileiros haviam apresentado pedido formal de revisão. Desses, apenas dois são do Estado de São Paulo - Mirante do Paranapanema, no oeste paulista, e São Sebastião, no litoral norte. "É um direito legal que os municípios têm, mas isso não significa que todos vão ter como resposta mudança de números", observou Nunes.

Marcelo Rehder e Rodrigo Brancatelli, O Estadao de S.Paulo

20 Outubro 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.