Segundo policial renuncia em escândalo de grampo na Inglaterra

A investigação sobre o grampo de telefones pela News Corp levou à demissão do segundo policial de alto escalão em menos de 24 horas, quando o comissário adjunto da polícia de Londres John Yates renunciou nesta segunda-feira.

REUTERS

18 de julho de 2011 | 15h23

Yates, também o principal oficial de contraterrorismo da Polícia Metropolitana de Londres, anunciou sua renúncia em um comunicado no dia em que seu chefe, o comissário Paul Stephenson, anunciou sua demissão por conta do escândalo envolvendo o agora extinto jornal News of the World.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, disse que as duas renúncias eram lamentáveis, mas que era o caminho certo.

"Não há absolutamente nenhuma prova contra a integridade ou o profissionalismo de qualquer um dos homens", disse a jornalistas.

"Mas em ambos os casos precisamos reconhecer que o nexo da questão sobre o relacionamento entre a Polícia Metropolitana e o News of the World provavelmente seria uma distração para os dois oficiais no período que antecede a Olimpíada (de 2012)."

Yates decidiu em 2009 não reabrir investigações anteriores em supostos grampos de telefones por jornalistas no News of the World, alegando que não havia motivos para isso.

No entanto, uma nova investigação lançada em janeiro deste ano descobriu que a polícia tinha 11 mil páginas de provas que não haviam sido rigorosamente examinadas pelos detetives.

Stephenson pediu demissão como chefe da Polícia Metropolitana de Londres no domingo por conta de ligações com Neil Wallis, ex-vice-diretor do jornal pertencente a Rupert Murdoch. A polícia de Londres havia contratado Wallis como um consultor de relações públicas.

(Reportagem de Stephen Addison)

Tudo o que sabemos sobre:
MIDIAPOLICIALRENUNCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.