Segunda posse de Lula não terá governantes estrangeiros

A festa da posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no dia 1º de janeiro, para um segundo mandato, não contará com a presença de nenhum chefe de Estado ou de governo, informou nesta quinta-feira o assessor especial do presidente, Cezar Alvarez. Ele explicou que a data, por ser festiva também nos demais países, não favorece o deslocamento dos governantes para o Exterior. A festa custará R$ 1 milhão, de acordo com Alvarez. Não haverá posse coletiva de ministros, pois todos permanecerão nos cargos que ocupam até o anúncio de eventuais mudanças. O assessor informou que, no dia 1º, o presidente reeleito sairá do Palácio da Alvorada às 15h45, seguindo para a Catedral de Brasília, onde o aguardará o Rolls-Royce da Presidência, no qual irá até o Congresso para ser empossado e discursar. No Congresso, a cerimônia deve durar entre uma hora e quinze minutos e uma hora e trinta minutos. Em seguida, Lula irá ao Palácio do Planalto, onde, já com a faixa presidencial, subirá a rampa e discursará, do parlatório, das 18 horas às 18h15, para a multidão reunida na Praça dos Três Poderes. Dentro do Palácio do Planalto estarão de 1.500 a 1.600 pessoas: ministros de Estado, presidentes dos Três Poderes, parlamentares eleitos e parlamentares em fim de mandato, prefeitos, governadores e convidados pessoais de Lula. Segundo o assessor especial de Lula, os artistas que confirmaram presença na festa da posse são, entre outros, o grupo Olodum, a sambista Lecy Brandão, a dupla Zé Mulato e Cassiano, Célia Porto e Renato Matos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.