Sede do grupo ''abriga'' 84 empresas

Todas têm no cadastro endereço do Opportunity e Dantas é sócio de algumas delas; 5 caíram na malha fina do BC

Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

19 de julho de 2008 | 00h00

A sede do Grupo Opportunity, na Avenida Presidente Wilson, número 231, centro do Rio de Janeiro, é endereço de 84 empresas consideradas pela Polícia Federal como "de prateleira". Segundo apurou o Estado, todas têm em seus cadastros de contribuinte (CNPJ) a sede do Opportunity como base de operações. Cinco delas caíram na malha fina do Banco Central por movimentar uma soma superior a R$ 115 milhões sem declarar faturamento mensal. Duas delas têm Daniel Dantas, alvo central da Operação Satiagraha por suspeita de lavagem de dinheiro, como sócio-administrador.Dantas figura no quadro societário das empresas Multiponto Participações Ltda e Santa Luzia Comercial e Participações Ltda, que em 99 lançamentos a crédito e 129 a débito movimentaram mais de R$ 15 milhões entre janeiro de 2005 e janeiro de 2006. Ambas são, de acordo com as descrições de atividade econômica de seus cadastros, "holdings de instituições não-financeiras", ou seja, operam como controladoras de outras empresas. A parceira de Dantas na administração é sua irmã, Verônica.Segundo o Banco Central, as contas da Multiponto e da Santa Luzia "não demonstram ser resultado de atividades ou negócios normais, visto que utilizadas para recebimento ou pagamento de quantias significativas sem indicação clara de finalidade ou relação com o titular da conta ou seu negócio". A conclusão do BC é resultado da Avaliação de Controles Internos e Compliance (ACIC), que testou controles contra lavagem de dinheiro.O ACIC, que resultou em processo administrativo contra o Opportunity, aponta que as situações das contas não foram apontadas nos relatórios do banco pois "não havia implementado controles com vistas à identificação de operações que poderiam caracterizar indícios de utilização das contas de depósitos de seus clientes para cometimento dos crimes previstos na Lei 9.613/98 (que versa sobre prevenção à lavagem de dinheiro)".O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) corrobora as suspeitas do BC em seu Relatório de Inteligência Financeira (RIF) número 1432, de dezembro de 2007. O documento assevera que as operações das empresas em que Dantas figura no quadro societário "deveriam ter sido comunicadas" por se tratarem de negócios "anormais".Há ainda, entre as 84 empresas com sede jurídica no Opportunity, diversas prestadoras de serviço que mencionam Verônica no quadro societário. Constam securitizadoras de créditos imobiliários, incorporadoras de empreendimentos imobiliários, provedores de telefonia por internet, agências de publicidade, entre outras.DEFESAQuestionado, o Banco Opportunity preferiu não comentar a existência das 84 empresas em sua sede jurídica ou sobre a relação de Dantas com as empresas enquadradas pelo Banco Central.Sobre as movimentações consideradas "anormais" pelo BC e Coaf, explicou: "São compatíveis com a real capacidade e as atividades e negócios normais dos titulares das respectivas contas. Em todas as movimentações citadas, o Banco Opportunity tinha pleno conhecimento da origem dos recursos, normalmente resgates dos seus fundos de investimento, e das operações realizadas (em geral aplicações em nossos próprios fundos). Por isso não foram comunicadas ao Coaf."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.