Divulgação/PF
Divulgação/PF

Sede da PF em Curitiba tem princípio de incêndio

Fogo atinge subsolo e, segundo nota da instituição, não houve prejuízo a presos e nem às investigações da Lava Jato

O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2017 | 08h17

SÃO PAULO - Um princípio de incêndio atingiu a sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, na madruga desta segunda-feira. Segundo nota divulgada pela instituição, o fogo foi controlado rapidamente e "não houve qualquer prejuízo" aos presos no local.

A PF em Curitiba é um dos principais 'QGs' da Operação Lava Jato e onde estão presos executivos como Marcelo Odebrecht, presidente e herdeiro do grupo que leva o seu nome, e políticos, como Pedro Corrêa, ex-deputado federal do PP, e Antonio Palocci, ex-ministro. No local costumam ficar os investigados que fecharam ou que negociam acordos de delação premiada.

"A Polícia Federal informa que nesta madrugada(20/02) houve um princípio de incêndio numa das salas do subsolo da Superintendência da PF em Curitiba-PR. Ressaltamos que o início de fogo foi controlado rapidamente, que não houve qualquer prejuízo aos custodiados, assim como aos trabalhos relativos à Operação Lava Jato. Peritos da PF já trabalham para levantar as causas e em virtude disso não haverá expediente no dia de hoje", informa nota divulgada pela PF. Por causa do princípio de incêndio, a PF suspendeu o atendimento ao público nesta segunda-feira.

Segundo informou o Corpo de Bombeiros, duas viaturas da corporação foram enviadas às 4h para a sede da PF e a situação já estava controlada por volta das 5h30. A possível causa do princípio de incêndio, ainda segundo os bombeiros, foi um curto circuito em equipamentos de no-breaks no subsoloso do prédio. Não houve feridos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.