Secretário suspeita de corrupção em outras regionais

O secretário de Implementação das Subprefeituras, Arlindo Chinaglia, afirmou hoje que, além da regional de Santo Amaro, outras duas regionais têm suspeitas de cobranças de propina por parte de servidores municipais. Ele não revelou quais seriam as regionais. "Nossa intenção é flagrar o quanto antes os envolvidos e, por isso, não é momento de revelar quais são as regionais em questão", afirmou.Chinaglia fez vistorias hoje na região de Santo Amaro, acompanhando a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT). Ele confirmou a suspeita de cobrança de propina na AR- Santo Amaro e o afastamento de seis servidores (um supervisor de obras públicas, um supervisor de uso e ocupação do solo, um chefe de fiscalização, um fiscal de uso e ocupação do solo, um operador de bomba de gasolina e um chefe de oficina). Conforme antecipou ontem à Agência Estado, uma auditoria já foi solicitada pela AR-Santo Amaro para apurar às suspeitas.A prefeita classificou o afastamento dos funcionários supostamente envolvidos como uma medida importante no combate à corrupção. "Nós estamos há poucos dias no governo e já estamos realizando importantes ações", afirmou a prefeita. Marta encerrou suas atividades na região de Santo Amaro com um almoço na Câmara Americana de Comércio. Na Câmara, ela fez um apelo para que as grandes empresas doem, conforme previsto em lei, 1% do que pagam dos impostos para o Conselho da Criança e do Adolescente. "As empresas não teriam de doar a mais. Apenas 1% do imposto deixaria de ir para o governo federal e viria para a Prefeitura", afirmou ela. Marta não soube precisar quanto a Prefeitura poderia arrecadar caso as empresas paulistanas atendam ao seu apelo. "O que sei é que esses recursos seriam aplicados nas creches e escolas municipais de educação infantil", disse Marta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.