Secretário nega surto de meningite no RJ

O secretário estadual de Saúde, Gilson Cantarino, afastou qualquer possibilidade de surto de meningite no Estado, mesmo depois de confirmadas as mortes, provocadas pela doença, de três pessoas da mesma família no bairro da Grama, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense. De acordo com Cantarino, 41 pessoas tiveram a doença do início de junho até o último dia 18 no Rio. De acordo com a Coordenadoria de Epidemiologia da secretaria, para que se caracterize uma epidemia é preciso que o número de casos supere 269. "Nesta época do ano, é comum o aumento do número de casos de meningite. Não há motivo algum para pânico", afirmou o secretário. Em junho do ano passado, foram registrados 156 casos no Estado. "Desde 1997 não temos surtos de meningite, e isso não deverá acontecer este ano", disse Cantarino. A preocupação dos moradores do bairro da Grama começou quando treze pessoas morreram de doenças de sintomas parecidos - febre alta, dores pelo corpo e vômitos - mas sem causa definida, nos últimos vinte dias. Através de exames, a secretaria constatou que os males eram meningite, leptospirose, hepatite e pneumonia. Das cinco pessoas que teriam contraído a suposta ?doença misteriosa?, três continuam internados. A secretaria já sabe que uma delas, um rapaz de 16 anos, deve ter leptospirose. O secretário Cantarino creditou as mortes à falta de saneamento na região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.