Secretário é exonerado e vira assessor de Haddad

O prefeito Fernando Haddad (PT) exonerou nesta sexta-feira o secretário de Infraestrutura Urbana e Obras, Oswaldo Spuri, investigado sob suspeita de ligação com o cartel do Metrô. Ele, porém, vai continuar no governo, como assessor especial direto do prefeito. Spuri pediu oficialmente para sair do cargo para tratar de problemas de saúde.

DIEGO ZANCHETTA, Agência Estado

04 de abril de 2014 | 16h25

A Corregedoria Geral da Administração paulista, responsável por investigar supostas irregularidades de funcionários públicos em cartel denunciado pela Siemens, aponta o engenheiro Spuri, presidente da comissão de licitação da compra de trens do Metrô, como suspeito pela inexistência de pesquisa de preços durante as licitações. Ele nega qualquer irregularidade e afirma que seria "impossível" calcular o preço de todos os componentes de um trem, como exige a lei das licitações.

Na prática, porém, Spuri foi rebaixado. Ele deixa uma das principais secretarias do governo, com obras de R$ 4 bilhões em andamento, para permanecer no governo como assessor de gabinete. O tucano foi escolha pessoal de Haddad durante a composição do governo, em 2013. "A Prefeitura de São Paulo informa que a exoneração de Oswaldo Spuri do cargo de secretário de Infraestrutura e Obras e sua nomeação como assessor especial está relacionada com um diagnóstico recebido recentemente que limita o exercício do cargo anterior", informou em nota a gestão Haddad.

Para o lugar de Spuri foi nomeado Roberto Nami Garibe Filho, que foi secretário de Governo após a exoneração de Antonio Donato (PT), no ano passado. Garibe Filho tem perfil técnico e não é filiado a nenhum partido. (Colaborou Fabio Leite)

Mais conteúdo sobre:
cartelsecretárioHaddad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.