Secretário do Rio pede a Lula retirada de porta-aviões dos EUA

O secretário do Ambiente do Estadodo Rio de Janeiro, Carlos Minc, pediu ao presidente Luiz InácioLula da Silva a retirada de águas territoriais brasileiras doporta-aviões norte-americano George Washington. Em ofício enviado ao presidente e aos ministros da Justiça,Tarso Genro, e das Relações Exteriores, Celso Amorim, Mincafirmou que a Constituição proíbe o uso da energia nuclear parafins militares em território brasileiro, permitindo seu usoexclusivamente para fins pacíficos. O George Washington está ancorado na Baía de Guanabara paraparticipar da Operação Unitas de exercícios navais, que reúneas Marinhas do Brasil, da Argentina e dos Estados Unidos. Segundo Minc, o porta-aviões, da classe Nimitz, transportade seis a dez bombas nucleares e de dez a 20 torpedosnucleares, inclusive Tomahawks, além de bombas nucleares deprofundidade e mísseis nucleares em seus aviões. "As bombas, torpedos e artefatos nucleares do GeorgeWashington afrontam nossa Constituição", disse Minc em nota. "Não é aceitável a resposta do almirante americanoresponsável pela Operação Unitas de que ele não pode dizer se oporta-aviões transporta ou não armas nucleares. Como aConstituição se sobrepõe a qualquer acordo, o governo federaldeve determinar que os navios e aviões portando armas nuclearesdeixem os mares territoriais brasileiros", acrescentou. (Por Mair Pena Neto)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.