Secretário do PTB condena articulação para afastar Jefferson

O secretário-geral do PTB, deputado estadual Campos Machado (SP), reagiu com indignação às notícias divulgadas pela imprensa de que o Palácio do Planalto estaria trabalhando para tirar o comando do partido do ex-deputado Roberto Jefferson, para facilitar a participação dos petebistas no governo de coalizão. O deputado cassado foi o autor das denúncias que resultaram na crise do mensalão.Na quinta, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu em seu gabinete 20 dos 22 deputados do PTB. Em nota oficial, Campos Machado disse que uma iniciativa de Lula para destituir Jefferson, reconduzido em outubro à presidência do PTB, durante convenção nacional, seria interferência de "terceiros ou de oportunistas de plantão" nos assuntos internos do partido."Louvo e respeito a posição assumida pelo leal e competente líder José Múcio, de que a bancada federal tem compromissos com a governabilidade, o que é, aliás, defendido por todos nós. Mas, daí a se aceitar a interferência de terceiros, ou de oportunistas de plantão, em assuntos internos do PTB, é fato que depõe contra a nossa tradição e contra a nossa história", reagiu o deputado estadual.Ele manifestou ainda sua "incredulidade" e enfatizou: "Cabe ao Presidente Lula governar e conduzir os destinos da Nação, ao mesmo tempo que, aos petebistas, principalmente àqueles que têm compromisso partidário, cabe zelar e dirigir um dos mais tradicionais e históricos partidos do País, o PTB", prosseguiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.