Secretário do PT deixa Executiva

Romênio Pereira, alvo de investigação por suposto envolvimento com quadrilha, pediu licença por 60 dias

O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2008 | 00h00

Suspeito de envolvimento com uma quadrilha que desviou verbas públicas, o secretário de Assuntos Institucionais do PT, Romênio Pereira, divulgou nota em que anuncia seu afastamento da Executiva Nacional do partido por 60 dias. Ele diz que, com a licença, exercerá "pleno direito de defesa".Romênio é alvo de uma investigação da Procuradoria Geral da República e da Polícia Federal - em abril passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a quebra de seus sigilos fiscal, bancário e telefônico. Reportagem da revista Istoé desta semana afirma que o resultado dessa apuração será enviado ao STF no próximo mês.Segundo a revista, a investigação mostrou vínculos entre Romênio e João Carlos Carvalho, lobista apontado como suposto líder da quadrilha. O grupo teria, mediante pagamento de propinas, intermediado a liberação de verbas federais para prefeituras.Parte do suposto desvio teria alcançado até recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), principal programa do governo federal. A ação da quadrilha teria sido mapeada a partir da Operação João-de-Barro, da Polícia Federal.Além de Pereira, do lobista e de prefeitos, a investigação encontrou indícios de envolvimento de sete parlamentares no esquema, afirma a Istoé.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.