Secretário do DEM defende permanência de Paulo Octávio

Segundo Flávio Curi, o que existe de concreto até agora é 'apenas' a pressão de dois membros do partido

estadao.com.br,

17 de fevereiro de 2010 | 11h48

O secretário-geral do Democratas, Flávio Curi, disse não haver motivo para que o governador interino do DF, Paulo Octávio, renuncie ao mandato ou saia do partido depois que teve seu nome citado nas denúncias de esquema de corrupção. Segundo ele, o que existe de concreto até agora é "apenas" a pressão de dois membros do partido - o senador Demóstenes Torres (GO) e o deputado Ronaldo Caiado (GO).

 

Veja Também:

linkPara aliados, Arruda renunciará

linkArruda recebe visita da esposa Flávia

linkArruda está preocupado, diz advogado

linkVice de Arruda vai a Lula em busca de apoio

especialEntenda a operação Caixa de Pandora

 

"Não há a possibilidade dele renunciar. Ele já renunciou à presidência do diretório. Agora, tem de cumprir o dever constitucional de governador interino. Se especula muito sobre a sua renúncia e sobre o que vai acontecer com Brasília, mas não vejo motivo para que ele seja expulso do partido", disse em entrevista à Agência Brasil.

 

Curi deve conversar ainda nesta quarta-feira, 17, com o presidente nacional do partido, Rodrigo Maia, para "sentir o clima" depois dos pedidos de integrantes da executiva nacional para que o diretório regional seja desfeito. "Vemos isso com muita preocupação. Ninguém sabe o porquê, a motivação. Ouvi falar apenas, de maneira indelicada, que é preciso fazer uma assepsia, mas não sei qual assepsia precisa ser feita", disse, fazendo referência à declarações de Demóstenes Torres e Ronaldo Caiado.

 

O secretário também não quis comentar a possibilidade de o governador licenciado, José Roberto Arruda, renunciar ao mandato para fugir do processo de cassação que será aprovado amanhã na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Legislativa. "Ele não pertence mais ao partido. Não tenho nenhuma informação sobre o assunto", disse.

 

A CCJ da Câmara Legislativa deverá aprovar nesta quinta-feira, 18, os três pedidos de impeachment contra Arruda. O deputado distrital Chico Leite (PT), disse que vai pedir, na mesma reunião, que três processos contra Paulo Octávio também sejam analisados. Os processo foram protocolados na semana passada.

 

Com informações da Agência Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
DEMDFCPIArrudamensalao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.