Secretário de Saúde acha que problema do Inca pode ter sido inoperância

O secretário de Atenção à Saúde, Jorge Solla, não descarta a possibilidade de o desabastecimento do Instituto do Câncer ter sido provocado pela inoperância da antiga diretoria. A falta de remédios causou uma crise no instituto que culminou, hoje, com o pedido de demissão do diretor-geral, Jamil Haddad. Antes de se desligar, Haddad, que já foi ministro da Saúde no governo Itamar Franco, exonerou toda a diretoria. ?O problema não foi causado por falta de verba, nem por falta de autonomia do instituto para comprar medicamentos?, afirmou Solla. Técnicos da Secretaria de Atenção à Saúde realizam agora uma investigação para descobrir os motivos do desabastecimento. Além da inoperância da diretoria, será avaliado se o problema não foi provocado por problemas de mercado, como a falta temporária de alguma matéria-prima. Solla tentou reduzir as proporções da crise enfrentada pelo Inca. O problema do abastecimento ? que de acordo com ele é pontual ? deverá ser solucionado assim que as causas forem totalmente esclarecidas. Ele, no entanto, não definiu prazos. ?Será o mais breve possível, é só o que posso dizer.? O secretário confirmou a versão de Haddad para a sua saída: ?O ministério queria que ele ficasse. Mas ele achou que as pressões poderiam ocorrer novamente.? Mesmo negando o interesse do ministério na saída de Haddad, Solla avaliou que, com as alterações, a situação tende a se alcamar. Ele refutou ainda que todo o episódio tenha revelado a fragilidade do Ministério da Saúde. ?Isso teria acontecido se a situação perdurasse. Agimos rapidamente.? Haddad foi substituído interinamente pelo chefe de gabinete e antigo diretor da instituição, Walter Roriz. No lugar dos demais diretores, assumirão, também provisoriamente, seus substitutos diretos. Caberá ao ministro da Saúde, Humberto Costa, determinar a formação definitiva da diretoria do Inca.Solla informou também que um concurso para contratação de novos funcionários, que vinha sendo preparado para o próximo ano, terá seus passos acelerados para ser realizado o mais breve possível. "Estamos acelerando os passos para que este concurso seja realizado e que, em breve, todo o quadro de funcionários do Inca seja um quadro permanente de funcionários do Ministério da Saúde", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.