WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO

Secretário de Justiça de Alckmin anuncia saída

Ex-procurador-geral de Justiça Márcio Fernandes Elias Rosa deve assumir o cargo; carta de demissão foi publicada na internet

O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2016 | 07h33

SÃO PAULO - O secretário da Justiça e da Defesa da Cidadania, Aloisio de Toledo César, publicou no domingo, 29, em sua página do Facebook o conteúdo de uma carta de demissão que já teria sido entregue ao governador Geraldo Alckmin (PSDB). No texto, Toledo diz que deixa o cargo porque precisa de tempo para concluir dois livros. O PTB, partido que indicou Toledo para o posto, pretende manter sua influência na pasta e deve apresentar o nome do ex-procurador-geral de Justiça Márcio Fernandes Elias Rosa. A assessoria do Palácio dos Bandeirantes não quis comentar a saída de Toledo e a possível indicação de Elias Rosa.

Toledo assumiu a pasta em 1.º de janeiro do ano passado. Ele foi indicado pelo deputado estadual Campos Machado, presidente do PTB paulista e aliado de Alckmin.

De acordo com o relato do próprio Toledo, o pedido de demissão foi recebido pelo governador de forma “afetuosa”. O agora ex-secretário está em processo de conclusão de dois livros que pretende publicar ainda neste semestre: Os limites da improbidade administrativa e Prefeitos: crimes e ilícitos administrativos mais comuns.

No fim de sua carta de demissão, Toledo diz torcer para que o Alckmin “complete a sua linda biografia, elegendo-se Presidente da República, sonho possível de ser realizado”.

A assessoria de Campos Machado afirmou que o líder do PTB não vai abrir mão de indicar o substituto de Toledo. O nome de Elias Rosa chegou a ser cotado para a Secretaria da Segurança Pública no lugar de Alexandre de Moraes, hoje ministro da Justiça. A expectativa é de que a definição saia nesta quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.