Secretário de Habitação de SP também presidirá CDHU

O secretário da Habitação do governo de Geraldo Alckmin (PSDB) no Estado de São Paulo, Silvio Torres, disse hoje que vai acumular em definitivo a presidência da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). De acordo com ele, a decisão deve ser formalizada até o dia 15 deste mês, quando o conselho da empresa deverá se reunir. "O governador já assentiu e acha que deve ser desta forma", afirmou.

ANNE WARTH, Agência Estado

01 de janeiro de 2011 | 15h07

De acordo com ele, a prioridade de sua pasta deverá ser a continuidade dos programas de remoção de casas em áreas de risco e diminuir o prazo para a execução de projetos aprovados. Segundo ele, na capital paulista, entre as duas fases deste processo, o prazo médio é de 24 meses e no interior, de 12 meses. O objetivo de Torres é que o tempo caia para 12 meses na capital paulista e 8 meses no interior.

Ainda de acordo com o secretario, o Estado deve entregar neste ano 20 mil das 43 mil casas atualmente em construção e deve seguir com o programa de remoção de favelas nas margens do rio Tietê. "A remoção já foi feita e agora vamos colocar as pessoas nas casas que vamos construir", afirmou. Outro projeto em andamento é a retirada de moradores de regiões irregulares da Serra do Mar e o programa de urbanização de favelas no Estado.

Sabesp

O presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Gesner de Oliveira, disse que sua permanência na direção da empresa é uma decisão que cabe ao governador Geraldo Alckmin. De acordo com ele, ainda não ocorreram conversas nesse sentido entre o tucano e ele. "A decisão é do governador. É ele que escala o time", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
posseSPGeraldo AlckminhabitaçãoCDHU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.