Secretário de Comunicação do PT contesta críticas de Alckmin

O secretário de Comunicação do Partido dos Trabalhadores (PT), Francisco Campos, afirmou hoje que a legenda não está contrariando a legislação eleitoral ao veicular propaganda (no horário gratuito no rádio e na TV) com as ações do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Não existe, de nossa parte, nenhum caráter de antecipação eleitoral com essas inserções. Estamos apenas divulgando as realizações sociais do governo Lula, que são maiores do que tudo que já foi realizado nas administrações de FHC na Presidência e de Geraldo Alckmin no governo de São Paulo."Na avaliação de Campos, se os tucanos estão fazendo essa avaliação - a de que o PT está fazendo campanha antes do prazo permitido pela legislação eleitoral - "é sinal de que estão incomodados". "A atitude do PSDB (em entrar com representação contra a propaganda veiculada pelo PT) é de desespero, porque ao comparar o governo Lula com o de FHC e o de Alckmin, a população pode perceber que fizemos muito mais pelo social."Para Campos, nessa fase de pré-campanha, "os tucanos estão com medo de que a população tenha conhecimento de que Lula governa para os pobres e os outros governam para os ricos." O secretário de Comunicação contestou também as declarações do coordenador da campanha tucana à Presidência, senador Sérgio Guerra (PE), de que o PT distorceu os dados apresentados. "São números públicos, não há o que contestar, é só checar, não tem nenhum conteúdo falso."O secretário de Comunicação do PT acredita, ainda, que será muito difícil para os tucanos desvincular o pré-candidato da legenda à Presidência nessas eleições, Geraldo Alckmin, da administração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Nas próximas inserções no rádio e na TV, o PT vai mostrar, segundo Campos, o crescimento das exportações e o programa de agricultura familiar da gestão petista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.