Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Secretário de Alckmin culpa Marta por invasões

As ocupações de terrenos e prédios em São Paulo continuam provocando o acirramento dos ânimos entre tucanos e petistas no Estado. Hoje, o secretário de Segurança Pública do governo Geraldo Alckmin (PSDB), Saulo de Castro Abreu Filho, culpou a prefeita Marta Suplicy (PT) e membros de sua equipe pela "corrida às ocupações". Segundo o secretário, por conta da falta de ação da Prefeitura nesses casos é que o Estado está tendo de acionar a polícia. "As promessas da Prefeitura estão estimulando a corrida às ocupações", afirmou. "Temos de dizer um basta para esse problema", reagiu.Segundo Saulo, este é um assunto que deveria ser tratado no âmbito municipal, pois trata do uso e ocupação do solo, e, por essa razão, não é um caso de polícia. O secretário argumentou que Marta Suplicy está há cerca de dois anos e meio no cargo e até o momento não realizou cadastramento para assentar as famílias sem-teto. Ele lembrou "o exemplo deixado por Mário Covas", que instituiu os sorteios para as famílias credenciadas nos programas do CDHU. "Será que agora vale o fura-fila, o vale tudo?"Saulo de Castro disse que se não há solução para o caso, o confronto é inevitável. O secretário de Segurança criticou também o secretário municipal de Habitação, Paulo Teixeira, alegando que ele tem mania de confundir as coisas. Saulo reclamou também do fato de ter tentado falar, sem sucesso ontem, com Teixeira, sobre os problemas das invasões. "Fui informado que ele estava no médico. Depois disseram que ele estava dando palestra para a própria prefeita. Isso é muito inusitado", afirmou.Utilizando o mesmo argumento de Geraldo Alckmin, de que o governo do Estado está fazendo sua parte no assunto, Saulo de Castro cobrou uma proposta concreta da Prefeitura. "Além de incitar as invasões, qual é a proposta concreta do município?" De acordo com o secretário, Marta Suplicy disse há algum tempo que os prédios do centro poderiam ser usados para moradia, depois disse que poderia ser utilizado para os camelôs. "São duas propostas opostas, mas nenhuma delas foi adiante. Qual é a estratégia.?"Além das críticas, Saulo disse acreditar que existe "alguma coisa" por trás do que ele considera de estratégia política de incitamento às invasões, por parte do PT. Questionado sobre o que poderia estar por trás de tudo isso, o secretário respondeu: "Pergunte ao PT". Vários nomes do PSDB estão sendo cogitados para disputar a sucessão à Prefeitura de São Paulo, entre eles, o de Saulo de Castro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.