Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Secretaria-Geral pede à PF investigação sobre ameaças à presidente em rede social

Órgão vê 'possível caracterização de incitação a crime' em post de funcionária de buffet que fez evento para Dilma em Teresina

Sandra Manfrini, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2015 | 17h05

BRASÍLIA - A Secretaria-Geral da Presidência da República solicitou à Polícia Federal que abra investigação sobre a publicação de informações, em rede social, que poderiam colocar em risco a segurança da presidente Dilma Rousseff, "com possível caracterização de incitação a crime contra a sua pessoa". O pedido foi motivado por uma publicação feita no Facebook por uma funcionária do buffet contratado para os eventos dos quais a presidente Dilma participou em Teresina (PI), na última sexta-feira. 

Antes do evento, a funcionária publicou em seu perfil uma mensagem avisando que faria o buffet para a presidente e sua equipe e questionando se alguém teria "algum pedido especial". "Hoje, a nossa presidente Dilma está em Teresina e vou ter o 'prazer' de fazer o evento para ela e toda equipe. Queria saber dos meus colegas se alguém tem algum pedido especial, afinal é uma oportunidade única", dizia a postagem. A partir daí, a publicação recebeu comentários como "coloca veneno para ela comer por favor", "mata essa mulher", "olha a oportunidade de você virar um herói nacional".

Além de solicitar a investigação à Polícia Federal, a Secretaria-Geral da Presidência pediu à Advocacia-Geral da União que avalie as medidas cabíveis, para eventual responsabilização penal e civil. "O fato é agravado pelo envolvimento de empresa que prestaria serviços em evento da Presidência em Teresina - PI. Repudiamos qualquer forma de incitação a crime ou a atentado contra qualquer pessoa", diz a nota da Secretaria-Geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.