Secretaria dos Portos nega envolvimento em esquema de venda de parecer

A Secretaria dos Portos nega "com veemência" informações de que seu secretário executivo, Mário Lima Júnior, teria facilitado a aprovação de projeto da empresa São Paulo Empreendimentos Portuários na Ilha de Bagres, em Santos (SP). Conversas interceptadas pela Polícia Federal entre o então diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Paulo Vieira, e o ex-senador Gilberto Miranda - durante investigação sobre esquema de venda de pareceres fraudulentos - revelam que o grupo investigado tinha interesse em regularizar esse empreendimento. Eles queriam que a área fosse considerada de interesse público, para obtenção do licenciamento ambiental do projeto, já que seria instalado em área de mata atlântica.

Rosana de Cássia, da Agência Estado

29 de novembro de 2012 | 11h49

A secretaria afirma que o pedido da empresa foi negado em junho de 2012, porque o órgão não tinha competência legal para decidir sobre o tema.

"Em nenhum momento o sr. Mário Lima Júnior manteve encontro ou qualquer outro contato telefônico com o sr. Gilberto Miranda, além do telefonema em viva-voz feito pelo sr. Paulo Rodrigues Vieira", afirma a secretaria.

O ministro-chefe da Secretaria dos Portos, Leônidas Cristino, já havia declarado à Agência Estado que, como membro do Conselho de Administração (Consad) do porto de Santos, assim como era Paulo Vieira, Mário Lima não podia recusar o pedido para conversar sobre o empreendimento. Segundo o ministro, a única conversa que os dois tiveram fora do Consad foi na secretaria. Nesse encontro, Vieira teria telefonado para Gilberto Miranda e colocado o telefone no viva voz para os três combinarem um encontro em Santos que, segundo Cristino , não ocorreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.