Secretária do Bolsa-Família morre em acidente

Rosani Cunha viajava pelo interior de Buenos Aires, onde faria palestra

O Estadao de S.Paulo

03 de novembro de 2008 | 00h00

Morreu na noite de sábado em um acidente de carro, na Argentina, a responsável pelo Programa Bolsa-Família, a secretária Nacional de Renda da Cidadania do Brasil, Rosani Cunha, aos 47 anos. O acidente aconteceu no município de Veinticinco de Mayo, no interior da província de Buenos Aires. Sobreviveram seu marido - que é cidadão brasileiro - e um amigo argentino que estava com eles no veículo. Rosani, cuja secretaria integra o Ministério do Desenvolvimento Social de Combate à Fome, era especialista em saúde pública e administração pública e personalidade respeitada dentro e fora do Brasil. A secretária estava na Argentina como convidada especial para o seminário "Diálogos de Proteção Social", organizado pelo Centro de Implementação de Políticas Públicas (Cippec), em Buenos Aires. O evento reúne especialistas do setor social de diversos países da América Latina. Na segunda-feira Rosani pronunciaria uma palestra nesse seminário.No Brasil, a morte da principal responsável pelo Bolsa-Família foi lamentada. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota em que elogiou o trabalhado da secretária."A morte da companheira Rosani Cunha deixou-me consternado. Lastimo as circunstâncias trágicas em que ocorreu e a perda de uma servidora pública competente e dedicada, que há quatro anos fazia um trabalho admirável na gestão do Bolsa Família", diz a a nota, divulgada pela assessoria de imprensa do Palácio do Planalto. O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, que soube da morte de sua auxiliar pouco depois de voltar de viagem oficial à África, passou o dia de ontem falando com a família de Rosani e cuidando de questões relativas ao traslado do corpo. Por conta disso, não falou com a imprensa. Mas em nota publicada no site do Ministério do Desenvolvimento Social, ele classificou Rosani como "uma esplêndida servidora". A previsão é de que o corpo da secretária chegue ao Brasil na madrugada de hoje e seja cremado às 17 horas, no cemitério Parque Renascer, em Contagem (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.