Secretária-adjunta assume comando de Gestão em SP

O Palácio dos Bandeirantes confirmou na tarde de hoje, por meio de nota, que a secretária-adjunta Cibele Franzese assumirá, interinamente, o comando da Secretaria de Gestão Pública do Estado de São Paulo. A mudança deve-se ao deslocamento do secretário estadual Julio Semeghini para a Secretaria de Planejamento de São Paulo, movimento que dá início à minirreforma do secretariado planejada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para o segundo ano de administração.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

17 de novembro de 2011 | 19h46

A solução caseira, segundo membros do governo paulista, tem como objetivo abrir espaço na máquina pública para contemplar potenciais siglas aliadas nas eleições municipais de 2012. O governador de São Paulo já teria, inclusive, acertado com lideranças do PDT a entrada da sigla na administração estadual, mas ainda não definiu qual pasta será entregue à legenda, que já indicou o nome do deputado federal João Dado.

O governador de São Paulo anunciou, em outubro, que o secretário estadual Emanuel Fernandes deixaria, por motivos pessoais, a Secretaria de Planejamento de São Paulo. Emanuel decidiu se afastar do cargo para acompanhar mais de perto o tratamento médico de sua mulher. O Palácio dos Bandeirantes trabalhava com uma lista de oito nomes para ocupar o cargo, entre eles o do ex-secretário estadual de Economia e Planejamento Francisco Vidal Luna.

O governador ainda não definiu se Semeghini desempenhará também a função de presidente do Comitê Paulista para a Copa do Mundo de 2014, posto ocupado anteriormente por Emanuel Fernandes. O Palácio dos Bandeirantes discute ainda a quem responderá agora empresas e autarquias como o Detran, o Poupatempo e a Prodesp. Uma das soluções analisadas pelo governo estadual é que a Prodesp passe para o comando da Secretaria de Planejamento e o Detran fique sob o controle da Secretaria da Fazenda.

Tudo o que sabemos sobre:
Alckminsecretariadoreformaamplia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.