Seca agrava abastecimento na região de Sorocaba

Cinco cidades da região de Sorocaba correm o risco de ficar sem água se persistir o atraso na temporada de chuvas. Os serviços de abastecimento previam chuvas intensas na primeira quinzena deste mês, mas há 150 dias não chove com regularidade na região. O nível dos mananciais que abastecem Itu, São Roque, Alumínio, Porto Feliz e Votorantim continua crítico. Apesar disso, só em Itu foi adotado o racionamento. Os 150 mil moradores estão ficando sem água seis horas por dia, mas o prefeito Lázaro Piunti (sem partido) atribui o problema à falta de produtos para o tratamento do líquido. Segundo ele, a água dos reservatórios seria suficiente para normalizar o abastecimento se houvesse verba para a compra dos produtos. Em São Roque, segundo a Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp), houve melhoria no nível dos rios Sorocamirim e Araçaí em razão das chuvas ocorridas há uma semana. "Choveu pouco, mas o suficiente para que os agricultores deixassem de retirar água para irrigar lavouras", disse o gerente Moacir Francisco de Souza. Segundo ele, mesmo assim ocorre desabastecimento em pontos isolados em razão de problemas técnicos. Em Votorantim, a escassez de água decorre do baixo nível da represa do Cubatão. O manancial, que estava praticamente seco, recuperou uma parte do nível, mas a água ainda não atinge o sistema de captação. Votorantim e Sorocaba são abastecidos também pela represa de Itupararanga, cujo nível está mais de 7 metros abaixo da cota máxima. Em Porto Feliz, a chuva da semana passada praticamente não alterou o nível do rio Avecuia e o serviço de abastecimento está em estado de alerta.

Agencia Estado,

20 Outubro 2003 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.