Se Renan ficar, PSDB seguirá obstruindo votação, diz Tasso

Presidente do PSDB disse que ação é forma de pressionar presidente do Senado a deixar cargo

ELIZABETH LOPES, Agencia Estado

09 de agosto de 2007 | 15h28

O presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), afirmou nesta quinta-feira, 9, que o seu partido continuará obstruindo as votações no Senado como forma de pressionar o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a deixar o cargo até que sejam concluídas as investigações sobre as suspeitas de quebra de decoro parlamentar que pesam sobre ele.  "É melhor o presidente Renan deixar a presidência, até para se defender", destacou o senador. Na avaliação de Jereissati a permanência de Renan Calheiros na presidência do Senado "é ruim para a instituição, porque tira a credibilidade do Senado". Novo processo O PSDB, DEM e PSOL estão movendo processo por quebra de decoro parlamentar contra Renan Calheiros, justamente porque, contra ele, pesa a suspeita de ser o dono desta e de outras emissoras, e de utilizar laranjas como sócios.  Além de responder a duas representações no Conselho de Ética, o presidente do Senado pode acumular mais uma.   Renan é alvo de processo por quebra de decoro parlamentar, por supostamente ter despesas pessoais pagas por lobista da construtora Mendes Junior. Paralelamente, o PSOL entrou com novo pedido para que o senador fosse investigado por suposto elo com a cervejaria Schincariol. O novo relator do caso Schincariol será definido nesta tarde.  

Tudo o que sabemos sobre:
RenanTassoSenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.