Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Se reforma agrária não for priorizada vira tema delicado, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, no encerramento do 2º Congresso Brasileiro de Agribusiness, que se a reforma agrária não for priorizada poderá tornar-se um "tema muito delicado". "Em política, tudo o que se demora a cuidar fica mais problemático", afirmou. "Nós não temos tempo para problemas". Lula reafirmou que cumprirá a promessa de campanha de fazer a reforma agrária. Segundo ele, o Brasil não pode tratar a questão como era tratada no Século XIX. "Nós temos que imaginar que estamos no Século XXI. A forma de produção do campo é diferente", observou, defendendo o financiamento de maquinário para famílias assentadas. DescasoO presidente disse que o governo brasileiro tomará uma decisão política, amparada por critérios científicos, em relação à produção de alimentos transgênicos no País. Ele lembrou que montou um grupo de trabalho para discutir o assunto, determinando que se fizesse um debate competente e científico para definir o modelo que o País deve adotar. Ele criticou o "descaso" do governo anterior em relação à matéria. "Quando nós tomamos posse, nem bem tínhamos aprendido o caminho para o gabinete, fomos pegos de surpresa com um problema sério", disse Lula, referindo-se à produção ilegal de 5 milhões de toneladas de soja transgênica. "Isso foi uma demonstração de que tinha havido um descaso, não só em fazer cumprir a lei, mas também de fazer uma discussão séria e serena sobre essa questão dos transgênicos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.