Se P-36 afundar, será difícil saber causa do acidente

O gerente-executivo de meio ambiente da Petrobras, Carlos Tadeu Fraga, disse hoje que "se a plataforma afundar, será difícil saber a causa" do acidente que matou 10 funcionários na última quinta-feira. Ele afirmou que acha pouco provável que tenha havido erro de projeto. Mas também considerou que só poderá descartar essa possibilidade quando houver um relatório sobre o motivo do problema. Ele informou que a estatal está constituindo hoje uma comissão de investigação para apurar as causas das três explosões. Ele explicou que a Coppe da UFRJ foi convidada a participar da comissão e que os empregados serão representados por um membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) da empresa, mas não do Sindicato dos Petroleiros.O delegado-adjunto da delegacia de Macaé, Hernane Helvas, informou que as investigações da polícia sobre as causas do acidente na P-36 vão começar na quarta-feira. "O delegado vai pedir à Petrobrás um mapa com a localização exata do acidente e uma relação dos funcionários, que estavam trabalhando naquele momento. Até agora, a perícia da Polícia Civil não tomou parte das investigações", informou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.