''''Se não for cassado, ficaremos todos sócios de seu descrédito'''', diz relator

Um dos relatores do processo de cassação de Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Renato Casagrande (PSB-ES) disse que o único resultado que poderá preservar a imagem do Senado como instituição é sua condenação por quebra de decoro parlamentar. Menos pessimista que na semana passada, Casagrande acha que a cassação poderá ser aprovada hoje, por pequena margem de votos, e alerta para o grande efeito negativo sobre a Casa, na hipótese de absolvição."Se o senador Renan Calheiros não for cassado, ficaremos todos sócios de seu descrédito junto da opinião pública. O Senado passará a ser responsável por essa decisão. E, se ele permanecer na presidência, o problema continuará, mesmo que ele tenha sido absolvido pelo plenário, porque existem ainda três outras representações no Conselho de Ética", afirmou.Na avaliação do relator, hoje existe uma grande cobrança da opinião pública a favor da cassação de Renan. Depois de passar o fim de semana no Espírito Santo, Casagrande relatou que essa pressão popular existe em todas as camadas sociais. "Passei por lugares onde havia pessoas de baixa renda e pessoas com renda mais alta. E a posição delas era a mesma, a favor da cassação", destacou o senador. "Então, será muito ruim para o Senado se houver uma dissintonia com a sociedade."EFEITO CASCATAOutra preocupação é que uma eventual absolvição crie um efeito cascata, influenciando as outras três representações. "Se ele for absolvido nessa primeira, evidentemente sairá fortalecido para enfrentar as outras denúncias. Não sei se o Senado terá energia suficiente para enfrentar um novo processo", disse o relator.Na opinião de Casagrande, o voto secreto pode influenciar a decisão em favor de Renan: "Se fosse aberto, as chances de cassação seriam muito maiores. Mas, com voto fechado, tudo é mais difícil", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.