Rafael Carvalho/Governo de Transição
Rafael Carvalho/Governo de Transição

Bolsonaro diz a Maia que há 'outros nomes' para a sucessão na Câmara

Presidente eleito disse ainda que vai pedir ao presidente da Câmara que faça um esforço para aprovar medida provisória que prevê destinação de recursos de loterias federais para a Segurança Pública

Marcelo Osakabe, Camila Turtelli e Leonencio Nossa, O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2018 | 10h29
Atualizado 14 Novembro 2018 | 16h48

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse, em entrevista à TV Record nesta quarta-feira, 14, que vai avisar ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), que há "outros candidatos" à vaga de presidente da Casa. Maia tenta costurar sua reeleição e vincula o apoio formal do DEM ao futuro governo a esse apoio. Em entrevista à TV Record, disse ainda que vai pedir ao presidente da Câmara que faça um esforço para aprovar a Medida Provisória (MP) que prevê a destinação de recursos de loterias federais para a Segurança Pública.

"Rodrigo tem seus interesses, eu tenho os meus. Nós não vamos interferir nas eleições para a mesa como um todo, até porque não nos reunimos com a bancada. Esse é o recado que vou por para Maia (no café da manhã que os dois tiveram em Brasília, na manhã desta quarta-feira). Existem outros candidatos também, muito bons, se lançando", disse Bolsonaro na entrevista à Record. "Vamos esperar a bancada, afinal de contas o presidente não pode se envolver diretamente nessa questão. Isso não é bom para o Brasil", disse.

Os dois se encontraram nesta manhã por cerca de uma hora no Centro Cultural do Banco do Brasil em Brasília, onde se concentra a equipe do governo. Maia chegou por volta das 8h30 para um café e deixou o prédio cerca de uma hora depois. Bolsonaro acompanhou Maia até a saída, mas nenhum dos dois falou com a imprensa.

Segundo Bolsonaro, a aprovação da MP é um pedido de Sérgio Moro, que vai assumir o futuro Ministério da Justiça e Segurança Pública. "Se não aprovar, Moro começa sem recursos para fazer o que quer, que é o combate a corrupção e ao crime organizado", disse o presidente eleito, que está em Brasília e se reunirá com Maia.

Na entrevista à Record, Bolsonaro também disse que pode anunciar ainda nesta quarta o escolhido para o Ministério das Relações Exteriores. "Talvez tenhamos aí um jovem ministro" para a pasta, disse o presidente eleito, informando que conversou duas vezes com o pretendente. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira - o embaixador Ernesto Araújo vai assumir a pasta.

Questionado sobre a reunião dos governadores, que aconteceria nesta quarta em Brasília, Bolsonaro disse que ficou sabendo do encontro apenas "depois que a reunião já tinha sido marcada", mas que irá participar. "Sei que eles têm suas demandas, vamos passar elas para a nossa equipe econômica. O que eles querem nós queremos", avaliou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.